É comum as crianças sofrerem quedas e os dentes serem atingidos. Mas, vale ressaltar que as maiores complicações devido a traumas, tanto nos dentes de leite como nos permanentes, acontecem por falta de atendimento imediato e controle de possíveis complicações, realizado no consultório dentário.

Algumas informações importantes:

1) O dente de leite tem raiz e no seu interior existe um canal por onde passam nervos e vasos sanguíneos (polpa). O dente permanente, por sua vez, está sendo formado muito próximo desta raiz, desde quando a criança nasce. Assim, existe o risco do dente permanente ser atingido pela raiz do dente de leite em um trauma. Fique atento!
2) Todo dente que sofre traumatismo tem que ter acompanhamento clínico e radiográfico no consultório pelo período de, no mínimo, 18 meses para os dentes de leite e de 5 anos para os dentes permanentes. A ideia é acompanhar/evitar complicações decorrentes do trauma.
3) Nem sempre o dente afetado pela queda apresenta alteração da cor. No entanto, isto pode ocorrer e caberá ao profissional avaliar se há a indicação de algum tratamento mais efetivo ou se o controle periódico clínico e radiográfico é suficiente.
4) ‘Pequenos’ traumas nos dentes de leite podem causar a morte da polpa e se o tratamento de canal não for realizado a tempo, a criança pode perdê-lo ou ter problemas no futuro nos dentes permanentes.
5) Em casos de sangramento e/ou aumento da mobilidade, o que muitas vezes significa fratura de raiz, o atendimento deve ser o mais rápido possível. Entre em contato imediatamente com o dentista, independente do horário e dia.
6) Quando o dente de leite ou permanente sai parcialmente da posição, quanto mais rápido ele for reposicionado maior será a chance de ele ser recuperado. Em casos de queda, o dente de leite geralmente não pode ser reimplantado – ao contrário do permanente. Mas, mais uma vez, é importante a avaliação de um profissional da área.
7) No caso de fratura de uma parte do dente, coloque-a na água filtrada e procure o dentista imediatamente. Dependendo do tamanho do fragmento, é possível realizar uma colagem no dente e recuperá-lo esteticamente.
8) Nos casos de fratura da coroa envolvendo a polpa dental (canal), poderá ser necessária a  reconstrução do dente e também o tratamento endodôntico (de canal) parcial ou total.
9) No caso de fratura da coroa do dente decíduo (dente de leite), o controle clínico e radiográfico será programado de acordo com a necessidade e gravidade do trauma dental. A restauração será realizada com o objetivo principal de proteger a dentina.
10) Tenha sempre em mãos o telefone do consultório, residência e celular de sua dentista. E lembre-se: emergências não tem hora!