A intolerância a lactose e a alergia a proteína do leite de vaca são patologias totalmente diferentes, mas que ainda são muito confundidas pela sociedade por conta do ‘vilão’ em comum: o leite de vaca.

É importante conhecer exatamente a diferença entre elas para que o tratamento correto seja realizado.

A lactose é o açúcar do leite que é digerido pela enzima lactase que está presente no intestino. Pessoas que apresentam redução da atividade dessa enzima manifestam a doença chamada de Intolerância a lactose. Os sintomas são limitados ao sistema digestivo e podem ocorrer juntos ou isolados. São eles: diarréia, dor abdominal, náuseas,  vômitos, distensão abdominal e flatulência . O tratamento requer redução ou isenção total de lactose na alimentação da criança. Lactentes impossibilitados de receber leite materno devem consumir fórmula infantil isenta de lactose.

Já a alergia a proteína do leite de vaca é uma doença na qual o sistema de defesa interpreta a (s) proteína (s) do leite como nociva (s) ao organismo e assim produz anticorpos contra ela (s). Os sintomas podem acometer o sistema digestivo  (diarréia, sangue nas fezes, dificuldade em ganhar peso), o trato respiratório (rinoconjuntivites ou crises de  broncoespasmos, podendo levar a dificuldade em respirar) , a pele (urticárias ou dermatites atópicas) ou sintomas mais sistêmicos mesmo (como é  caso da anafilaxia). Geralmente mais do que um sistema é atingido ao mesmo tempo. O tratamento, nestes casos, é a exclusão completa do leite de vaca e derivados da alimentação da criança. Lactentes impossibilitados de receber leite materno devem consumir fórmula extensamente hidrolisada ou, dependendo da idade e dos sintomas, fórmula de soja.