A disfluência ou gagueira infantil, como é mais conhecida, é uma das questões que mais causam dúvidas nos pais de crianças entre dois e quatro anos de idade. Por ser uma fase em que eles estão aprendendo a falar e a construir sentenças, é comum os pequenos apresentarem momentos de disfluência, pois fazem parte da aquisição de linguagem deles. Diante de diversas possibilidades e situações, as crianças se veem experimentando diferentes formas de se comunicar e produzir palavras. Não se apavore: a gagueira costuma desaparecer sozinha, sem precisar da ajuda de um especialista.

Procurando ajuda

É importante lembrar, porém, que há variações no grau de disfluência entre as crianças. Por isso, se por volta dos quatro anos e meio, o seu filho continuar a gaguejar – mesmo que em algumas poucas situações -, é aconselhado procurar um profissional para avaliação. Antes dessa idade, se a disfluência permanecer por mais de seis meses também é indicado buscar orientação.

Conforme as crianças vão crescendo, elas passam a perceber a sua dificuldade e isso pode vir acompanhado de momentos de tensão e ansiedade. Em alguns casos, o pequeno evita pronunciar determinadas palavras e falar na presença de algumas pessoas. Aí é preciso ficar atento para que a disfluência não se torne algo patológico.

Algumas dicas aos papais:
-Não complete frases ou palavras para a criança. Deixe que, por mais difícil que seja, esse trabalho seja dela;
-Mantenha a tranquilidade nesses momentos. Nunca mostre desconforto e sempre espere a criança acabar de falar;
-Não corrija a criança quando ela terminar de falar. Está tudo bem;
-Oriente que cada um tem a sua vez de falar e também sobre a importância de escutar o outro;
-Demonstre interesse pelo que a criança está falando.