Esse é o nome que se dá ao produto da pele do ouvido, composto por descamação da pele, secreção sebácea e secreção das glândulas ceruminosas (produtoras de cera). Com pH ácido e ácidos graxos e lisozimas, a cera evita a proliferação de bactérias e fungos causadores de infecção.

A descamação e migração da pele para fora do ouvido o torna “autolimpante”.  Portanto sua manipulação não é necessária. Ao contrário, deve ser evitada!

Em algumas pessoas, independente da idade, a cera pode se acumular no ouvido formando um tampão (rolha de cera) de cor e consistência variável.  Em alguns casos, é possível que elas tenham discreto desconforto, dificuldade na audição e sensação de ouvido tapado até sintomas mais sérios como dor e vertigem.

A remoção do tampão ou rolha de cerume deve ser feita em consultório médico, por profissional capacitado, e pode ser realizada por lavagem ou por remoção com aparelhos específicos.