Você sabia que a anemia ferropriva (falta de ferro no sangue) é a maior causa de deficiência nutricional no mundo? A doença afeta principalmente crianças menores de cinco anos de idade e mulheres na idade fértil. Mas, como evitar? Uma boa alimentação, composta por carne (vermelha, frango, miúdos, peixes), vegetais (acelga, agrião, couve) e cereais (ervilha, soja, grão de bico) é indicada e supre a necessidade diária da população.

Mas atenção, mamães! Durante os seis primeiros meses de vida, caso a criança esteja em aleitamento materno exclusivo, o estoque de ferro está garantido. Porém, assim que a introdução alimentar começar será necessário repor o nutriente com vitamina via oral a fim de  evitar que ela desenvolva anemia nos dois primeiros anos de vida. Já os bebês que tomam fórmula láctea não precisam, pois os leites artificiais já possuem quantidade suficiente de ferro. A exceção são para os prematuros, pois o armazenamento intrauterino ocorre basicamente nos últimos meses de gestação.

Fique atento! A criança que está com anemia ferropriva apresenta alguns sinais, como cansaço, palidez, dificuldade de concentração, apatia, prejuízo no crescimento, irritabilidade, falta de interesse e dificuldade de aprendizado. Se você perceber algum dos sintomas no seu filho, procure um médico e solicite um exame. É importante ressaltar que a doença pode causar prejuízo comportamental e déficit cognitivo, já que para produzirmos a hemoglobina, responsável pelo transporte de oxigênio aos tecidos, precisamos de ferro.
Alguns alimentos ricos em ferro:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bibliografia:

Carpenter CE & Mahoney A. Contributions of heme and nonheme iron to human nutrition. Crit Rev Food Sc Nutr 1992; 31: 333-367.

Food and Nutrition Board. Dietary reference intakes for vitamin A, vitamin K, arsenic, boron, chromium, copper, iodine, iron, manganese, molybdenum, nickel, silicon, vanadium, and zinc. Washington: National Academy of Sciences; 2001

CDC-Center For Disease Control And Prevention. Recommendation to prevent and control iron deficiency in the United States. Morbid and Mortality Weekly Reports 1998; 47: 1-29.

Akman, M; Cebeci, D.; Okur, V. et al. The effects of iron deficiency on infants’ developmental test performance. Acta Paediatr 2004; 93: 1391-1396.

BORTOLINI, Gisele A.; FISBERG, Mauro. Orientação nutricional do paciente com deficiência de ferro. Rev. Bras. Hematol. Hemoter.,  São Paulo,  2010 .